A representação dos trabalhos manuais e o bordado como meio de comunicação

uma análise da obra literária “Olga” de Fernando Morais

  • Silvane Inês Heck Universidade Feevale
  • Claudia Schemes Universidade Feevale
Palavras-chave: Trabalhos Manuais, Olga Benario Prestes, Representação, Identidade, Bordado

Resumo

O presente artigo, de cunho teórico-empírico, busca analisar as representações atribuídas aos trabalhos manuais na obra literária “Olga”, de Fernando Morais. Para tanto, se propõe a investigar e interpretar as passagens da narrativa que exaltam práticas como o bordado, o crochê e o tricô, a fim de verificar suas inferências na vida da protagonista e dos demais personagens quanto a estes ofícios. Objetiva-se compreender as aproximações entre os trabalhos manuais e os conceitos de memória, identidade e imaginário. Como resultado, procura-se romper com a percepção de monotonia geralmente associada a estas práticas, consolidando-as como recursos com potencial para expressar materialmente a identidade da mulher que os confecciona, retratando e representando suas memórias do passado, suas vivências do presente e seus sonhos e esperanças para o futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto 2009.

CHARTIER, Roger. O Mundo como Representação. Estudos avançados. v. 5. n. 11. São Paulo, Jan/Abril. 1991.

FAVARO, Cleci Eulália. Penélopes do Século XXI: a cultura popular revisitada. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.17, n.3, jul-set. 2010, 791-808 p. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v17n3/13.pdf>. Acesso em: 7 maio 2019.

GINZBURG, Carlo. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: Mitos, emblemas, sinais: Morfologia e História. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

MAFFESOLI, Michel. O imaginário é uma realidade. (Entrevista). Revista FAMECOS. Porto Alegre, nº 15, agosto 2001.

MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. São Paulo: Cultrix, 2007.

MORAIS, Fernando. Olga. São Paulo, SP: Companhia de Letras, 2008.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, 1992.

REIS, José Carlos. Da “história global” à “história em migalhas”: o que se ganha, o que se perde? In: GUAZELLI, César Augusto Barcellos et alii (org.) Questões de Teoria e Metodologia da História. Porto Alegre: Editora da Universidade, 2000.

RICOEUR, Paul. O entrecruzamento da História e da ficção. In: Tempo e narrativa. Tomo III. Campinas: Papirus, 1997.

SCHEMES, Claudia; DUARTE, Paulo Henrique Saul; MAGALHÃES, Magna Lima. Anseios e desejos: mulher madura e a moda como construção social. Prâksis. Novo Hamburgo, a.12, v.12, p.146-158, ago.2015.

SCHMIDT, Benito Bisso. A biografia histórica: o “retorno” do gênero e a noção de “contexto”. In: GUAZELLI, César Augusto Barcellos et alii (org.) Questões de Teoria e Metodologia da História. Porto Alegre: Editora da Universidade, 2000.

Publicado
2020-12-23
Como Citar
Heck, S. I. ., & Schemes, C. . (2020). A representação dos trabalhos manuais e o bordado como meio de comunicação: uma análise da obra literária “Olga” de Fernando Morais. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 17(2), 453-468. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v17i17.961